BLOG OSSIA

Toda semana com conteúdos sobre áudio, música e produção musical.

Na coluna de hoje, Eric Poffo, produtor executivo da OSSIA, irá fazer um breve esclarecimento sobre o que faz um produtor musical e de como e onde esta profissão pode atuar.

profissão produtor musical o que faz um produtor musical

Primeiramente, é bom esclarecer como funciona a monetização de uma produtora de áudio. Ela acontece pela concessão ou venda de direito de uso de uma determinada obra. Este valor é determinado pela complexidade da obra, e pelos meios midiáticos através dos quais ela será transmitida e/ou reproduzida. Logo, trabalhar com música ou áudio é construir patrimônio.

No Brasil, o órgão que faz a arrecadação, fiscalização e a distribuição dos valores referentes aos direitos autorais é o ECAD. Para garantir que a sua criação não seja usada fora dos termos acordados, o cadastro na ABRAMUS deve ser feito, de modo a gerar um ISRC, além de registrar a obra na Biblioteca Nacional. Dessa forma, o ECAD poderá fiscalizar e cobrar os valores referentes às utilizações, repassando ao produtor(a) a respectiva parte sobre qual tem direito.
Logo mais faremos um post falando exclusivamente sobre o assunto.

Publicidade

Para um produtor musical, trabalhar para empresas relacionadas a publicidade é um bom negócio. Isto, pelo custo de produção, simplicidade e boa demanda. Entre os serviços prestados estão: trilhas sonoras, locuções, spots (nome padrão para locução com trilha de fundo), mixagem, masterização e jingles (musica e letra original).

Anúncios publicitários tem de 15 segundos à 1 minuto para offline e até 2 minutos para online. Um dos fatores determinantes para conseguir clientes é o prazo de entrega. Então, se há pretensão de atuar nesse ramo, é necessário boa comunicação com seus clientes e locutores para evitar erros e consequentes atrasos.

o que faz um produtor musical

Cinema

O mercado de cinema é o oposto da publicidade para a profissão produtor musical. Não há uma grande demanda, mas as cifras são, muitas vezes, bem maiores, graças ao alto valor agregado. Os principais produtos a oferecer são as músicas originais, as cues (que são as músicas específicas para cenas específicas), criação de foleys e audiodesing. Seu trabalho pode custar um pouco mais que o do seu concorrente. Isto, pois um áudio excelente pode pode fazer toda a diferença no sucesso de um filme, novela, seriado, e até mesmo um documentário, pela grande influência que causa na narrativa. Se você quer entrar nesse ramo, tem que garantir que todo o processo de criação e audiodesign seja bem feito. E, provavelmente, precisará de uma equipe competente para cuidar de todo esse processo.


Jogospost_games

Hoje, no Brasil, existem cerca de 300 empresas desenvolvedoras de jogos. Não chega a ser um grande mercado, mas é bom lembrar que existe trabalho na área e ele pode ser bem promissor nos próximos anos. Algumas dessas empresas exportam games, e com as atuais facilidades de comunicação não há grande barreira que nos impeça de trabalhar para clientes fora do país.
Há grande variedade de serviços. Por exemplo, para dispositivos móveis, jogos educativos e de publicidade. Alguns precisam de músicas para fases, para gameplay, menus e etc… Existem trilhas de gameplay que oferecem grande desafio composicional devido às variações para os diferentes momentos da trama. As possibilidades de serviços para a profissão produtor musical nesse setor não tem limites.

Artistas

O Brasil tem uma grande bagagem cultural, traduzida também na música. Existem grandes artistas por aí querendo uma chance para viver de música. Para alcançar isso, eles procuram uma gravadoras ou um selo independente. Um selo/gravadora pode fornecer inúmeros serviços para os artistas. A principal seria a produção fonográfica (gravação, mixagem, masterização). Mas numa produtora você também pode encontrar os serviços de composição, arranjo e na ponta da lança, a distribuição. A monetização das partes ocorre de diferentes formas, muitas gravadoras investem em artistas e ganham pela sua parte em direitos autorais, outras recebem um valor para a venda dos direitos do fonograma para o artista que, tendo 100% dos direitos, escolhe em vender parte do mesmo para uma outra gravadora ou um terceiro.

Em nosso próximo post, falaremos sobre direitos e sobre como um produtor musical pode realizar o registro de seu fonograma.

O mercado da música sempre está mudando. Acredita que está atualizado?

Confira gratuitamente nosso infográfico:

mercado-da-musica

2 Comentários

    • Helo

      Oi, Francisco! Obrigada pelo seu comentário 🙂

      Você pode enviar um e-mail para [email protected]
      Nossa equipe pode te explicar mais sobre como atuamos nesse processo.

      Abraço,

      Helô.

      Responder

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *