BLOG OSSIA

Toda semana com conteúdos sobre áudio, música e produção musical.

Esse texto é baseado no vídeo “Mixando Voz #6 – Compressor 1176”. Seguindo a playlist com temas relacionados a mixagem de voz, o sexto vídeo fala sobre o Compressor 1176 – FG 116. Nesse texto vou explicar como utilizar esse modelo de compressor para fazer uma boa mixagem de voz, além de detalhar algumas funções que ele possui.

E aí galera tudo beleza? Hoje iremos continuar uma série de conteúdos bem bacana que está rolando aqui no blog. Como eu atualizei meu chain de voz, apareceram algumas novas ferramentas incluindo o compressor 1176 em duas revisões diferentes. Aqui no texto, vou mostrar para você como cada um dos compressores afeta a voz trazendo características diferentes, que podem ser somadas durante o processo de mixagem.

Se você perdeu algum de nossos vídeos sobre esse tema, clique aqui e acompanhe a playlist completa. Mas se você prefere a versão escrita do material, acesse este link e acompanhe o texto “Mixando Voz #5“.

Para demonstrar o funcionamento de cada uma das versões do compressor 1176 – FG 116, no material em vídeo desse deste tema, irei mostrar uma música da Julia Sicone. Como esse som tem uma pegada entre POP e Indie, eu optei por trazer a voz que faz um Rap, junto com os instrumentos e o resultado ficou muito bom!

Então, para começar eu tenho o canal da voz gravada e faço vários sends que são enviados em paralelo para diferentes compressores. Entre os compressores utilizados nesta mix estão o compressor 1176 – revisão E, u73, fairchild 670 e o Distressor. Todos esses diferentes compressores estão somando com a versão original da voz e o resultado é enviado para uma terceira track.

 

Detalhes sobre o compressor 1176 – FG 116 revisão E

Tenho aqui o compressor 1176 – FG 116 revisão E, junto com os demais nesse canal, mas estou usando ele como compressor principal dessa track, principalmente pela característica que possui para deixar a voz um pouco mais destacada, trazendo toda a track mais para frente. Com traços mais modernos que as outras versões dele, emuladas pela própria Waves, como a 1176 revisão B que conta com um transformador de saída diferente com uma distorção harmônica total menor e uma resposta de frequência um pouco mais ampla.

Para essa mixagem específica, eu estou utilizando bastante Input para ele e um Output um pouco mais reduzido. Então, o compressor 1176 – FG 116, tanto em sua versão analógica, quanto no plugin, é possível controlar alguns settings bem interessantes. A ideia é que você domine a quantidade de input, então o circuito de feedback dele faz os cálculos e ele vem para o output. Sendo assim, não existe um controle específico de threshold. O Ratio desse compressor conta com 4 opções, mas é curioso destacar que ele não conta com o botão all-in, que seria basicamente a combinação dos 4 botões juntos. Essa opção está disponível na versão analógica do compressor.

Para o exemplo que estou mixando no vídeo, eu utilizo o ratio em 4, já que ele não precisa ser tão alto e eu quero aplicar uma certa redução de ganho. Também utilizei a voz com um ataque e com release bem rápido. Como nesse caso eu tenho já o sinal com a voz não comprimida, para acompanhar o flow da música que conta com muitas sílabas uma atrás da outra e bastante transiente, eu consigo segurar um pouco e trazer o material todo um pouco mais para frente. Sendo essa a ideia principal do compressor 1176 – FG 116.

 

Características do compressor 1176 – FG 116 Blue Edition

Também conhecido como 1176 revisão B, esse compressor conta com duas opções de circuito, uma mais moderna e uma mais antiga com uma distorção harmônica total maior. Para o projeto que estou mixando, a versão mais moderna do compressor 1176 – FG 116, combina melhor com o estilo da música. Apesar de serem bastante parecidos em termos de estética de plugin, o compressor 1176 – FG 116 blue edition tem um som mais “mid-range” com um pouco mais de saturação, fazendo com que o resultado fique mais agressivo.

Uma característica bem interessante desses plugins da Slate é com relação ao mix knob, que auxilia no processo de mixagem. Para demonstrar a diferença entre os dois compressores, no vídeo eu configuro os plugins com os mesmos parâmetros e demonstro como o som fica diferente em cada um deles. Como cada um tem suas características próprias, é possível notar claramente a diferença. Com o compressor 1176 – FG 116 Blue edition dando um ar mais agressivo, com um mid-range destacado e um atack um pouco mais distorcido. Já o compressor 1176 – FG 116 revisão E com um aspecto mais sutil, mas mesmo assim consegue destacar a voz, colocando ela na frente da mix.

Então galera, espero que vocês tenham percebido como cada um dos modelos de compressor 1176 – FG 116, trazem características diferentes para a voz. Neste exemplo nós estamos utilizando plugins da Slate Digital, mas o mesmo efeito pode ser percebido no seu plugin in the box. Alguns deles podem contar com uma ou outra característica e sonoridade diferente, mas isso é normal, já que cada um dos dispositivos periféricos originais, soam diferentes uns dos outros. Então se você possui o compressor revisão B ou revisão E, eles vão soar bem diferente. Às vezes entre duas revisões E, de mesmo modelo, o som pode diferenciar um pouco. Motivos simples, como cuidado com o equipamento podem afetar a sonoridade final. Por isso é importante você sempre verificar quais os componentes e características que seu dispositivo deve possuir e se certificar que ele está chegando no objetivo proposto.

 

1176 compressor mais usado na história do áudio

Se você ainda quer conhecer mais sobre o compressor 1176 – FG 116, baixe agora mesmo nosso novo e-book, focado nesse que é o compressor mais utilizado na história do áudio! Esse material detalha características de diferentes revisões do compressor, além de destacar quais os melhores plugins que simulam cada uma das revisões. Não perca tempo e comece sua leitura agora mesmo!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *