BLOG OSSIA

Toda semana com conteúdos sobre áudio, música e produção musical.

Você sabe como utilizar os plugins de áudio para conseguir a sonoridade que está buscando? Se a sua resposta for negativa, então talvez você precise fazer um curso aprofundado a respeito do funcionamento dos equipamentos analógicos e de suas versões digitais.

No curso “Por dentro da mix”, que está sendo remodelado, você encontrará isso e muito mais. Enquanto isso confira nossos cursos clicando aqui.

O que o curso proporciona?

Dentre outras coisas, você irá entender exatamente que tipo de característica que cada plugin pode ativar em suas mixagens. Isso é feito com base nos próprios circuitos analógicos que estão sendo emulados.

Essa experiência permite que você consiga realizar trabalhos de uma forma muito mais dinâmica e eficiente.

O início do uso de plugins

Antes da década de 1990 não havia mixagem in the box, ou seja, com uso de softwares, plugins e recursos do computador para emular instrumentos digitais e mixa-los utilizando uma Digital Audio Workspace (DAW).

Esse procedimento passou a ser possível graças a evolução dos processadores dos computadores, que se tornaram mais rápidos e passaram a desempenhar mais funções simultaneamente.

A partir disso, os profissionais de mixagem passaram a simular os dispositivos analógicos em plugins e passaram a contar com muito mais recursos em seus trabalhos.

O uso de plugins hoje

Atualmente, o uso de dispositivos digitais é natural para a grande maioria dos profissionais. No entanto, o que se perdeu foi o conhecimento sobre a tradição de uso dos equipamentos analógicos antes da invenção dos plugins e da evolução dos processadores.

Ou seja, muitas pessoas tem conhecimento dos equipamentos, mas não sabem a respeito de suas funcionalidades e a diferença que eles fazem em uma mixagem. Isso acontece, justamente por que as pessoas não tiveram acesso a esses dispositivos analógicos.

Quem está começando no ramo da mixagem hoje, dentro da era digital, provavelmente utilizará, majoritariamente, plugins. Principalmente devido ao acesso a diversos plugins gratuitos. Isso, sem dúvidas, é de uma grande importância visto que dominar novas ferramentas e técnicas permite alcançar mais eficiência.

A importância do paralelo entre plugins e dispositivos analógicos

Apesar de toda praticidade e eficiência que o uso de plugins pode oferecer, é importante olhar para trás e analisar a tradição de uso dos equipamentos analógicos.

Acima de tudo, é preciso aprender a replicar as características do uso dos dispositivos analógicos nos plugins. Esse procedimento ajudará a evitar muitos erros técnicos.

O que você ira aprender no “Por dentro da mix”

No curso serão abordados, entre outras coisas, detalhes específicos sobre determinados compressoresequalizadores. Você saberá exatamente como e onde eles podem ser utilizados na mixagem para ativar determinadas características sônicas.

Muitas pessoas falam dos dispositivos analógicos, mas não conhecem sua tradição de uso e nem a sonoridade que eles trazem quando são aplicados em determinado tipo de sinal.

Por exemplo, se você abrir o plugin Ozone da iZotope perceberá a existência de componentes como “triodo” e “diodo”. Você saberia dizer a diferença e quais os efeitos que cada um fará no seu processamento? E quanto ao “tube”, “transistors” e “op-amp”?

Se você não souber responder a essa pergunta, nem qual tipo de dispositivo ou de componente eletrônico que eles estão emulando, dificilmente você conseguirá um bom resultado.

Você aprende melhor quando pratica

No curso “Por dentro da mix” você verá vários exemplos práticos de como cada um desses componentes afeta seu sinal. Para você ter um ideia, eles influenciam no groove, no punch, no brilho, na profundidade, entre outros elementos de sua mixagem.

Se você deseja aprender a manipular bem esses diferentes plugins e utilizar técnicas de mixagem relacionadas a eles, fique atento no relançamento do curso “Por dentro da mix“, pois ele é o que você está procurando.

Você também irá aprender como colocar os equipamentos no seu chain, ou seja, se ele vai em paralelo, no insert de determinado instrumento, etc. Assim, você vai entender a ordem em que cada processo deve ser executado, além ter a visão clara de quando deverá se preocupar com cada uma dessas questões.

Desse modo, você será capaz de agir de uma forma mais intuitiva, sem ficar pensando muito em cada ação ou trabalhando no método de tentativa e erro.

Mixar é como cozinhar

Por analogia, podemos dizer que, depois de realizar o curso, você se portará como um cozinheiro que possui domínio da receita de determinado prato. Ou seja, vai saber todos os ingredientes e temperos necessários, bem como o momento certo de adicionar cada um deles.

Esse conhecimento é base fundamental para que você consiga montar um template de mixagem, que é basicamente toda a cadeia de sinal que você vai usar para os seus trabalhos. Obviamente, você poderá alterar um determinado dispositivo ou seus parâmetros e assim por diante.

Agora é com você…

Bem, agora você já sabe da importância de ter um conhecimento mais aprofundado sobre os dispositivos analógicos para desenvolver um bom trabalho com os plugins. Como vimos, o “Por dentro da mix” pode ajudá-lo nesse processo.

Vale lembrar que, além de um bom conhecimento sobre dispositivo analógicos e plugins, você precisa dominar a linguagem utilizada no ramo da mixagem e produção musical. Pensando nisso, elaboramos um glossário de áudio completo para você.

BOOK---GLOSSARIO-DE-AUDIO-BLOG

Nesse eBook, você encontrará dezenas de conceitos sobre áudio concentrados em um só lugar, além de definições que vão facilitar o seu processo de aprendizagem sobre áudio. Ficou interessado? Então faça o download clicando aqui.

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *