BLOG OSSIA

Toda semana com conteúdos sobre áudio, música e produção musical.

Este texto foi baseado no vídeo “ Como Gerar Profundidade na Mixagem “. Nele, eu explico como alguns plugins podem ser utilizados para gerar profundidade e melhorar a qualidade geral do seu mix. Além de abordar aspectos como a profundidade na mixagem, também explico para você como cada plugin funciona e como melhorar a qualidade do som de sua bateria enquanto estiver mixando. Confira!

Fala galera tudo beleza? No texto de hoje eu vou ensinar você algumas técnicas para adicionar aquela profundidade  bacana em sua produção. Sabe aquele momento que você está mixando, e as faixas já estão cheias de reverbe de delay e vai ficando tudo embolado e sem profundidade? Então eu vou mostrar para você como o compressor e o emulador de gravador de fita vão ajudar a melhorar sua profundidade na mixagem.

 

Utilizando plugins para profundidade na mixagem

Para iniciar o nosso processo de aumento da profundidade na mixagem eu começo ainda na produção. Para este projeto específico vou unir os diferentes instrumentos que estão atuando basicamente como um bloco harmônico em uma única faixa. Criando assim um arquivo estéreo com todos os instrumentos agrupados em uma track só.

Os plugins que estou utilizando são da Nomad Factory, que lançou faz pouco tempo o Bus Driver. Ele conta basicamente com dois tipos de válvulas diferentes que realizam a compressão, mas tem um detalhe muito importante, ele apresenta um ganho de áudio digital muito bom. Existem outros plugins com características parecidas como o da Brainworx, Universal Audio e da Slate Digital.

O maior acerto desses plugins é o que a gente chama de Soft Clipping, impedindo o som de chegar no limite do áudio digital, dessa maneira ele simula um clipping analógico antes da faixa chegar ao extremo. O range dinâmico então é limitado com um processamento próprio, simulando assim a saturação harmônica e a saturação do áudio analógico.

Estes plugins dão um resultado mais natural,  dando uma “arredondada” o que deixa a faixa bem mais aveludada. Este plugin que estou utilizando, especificamente simula um compressor Vari Mu, fazendo a saturação da válvula ECC83 e também da 12AX7. Trabalhando dentro da célula dele com diferentes pontos de compressão dessas válvulas, mudando a impedância e processamento garantindo a profundidade na mixagem.

Em meu exemplo aqui eu não vou alterar muito a estrutura de ganho, vou apenas processar com o plugin, sem alterar muito loudness da música, o que vai acontecer é justamente este efeito que a gente está procurando de profundidade na mixagem.

 

Quais os plugins e como eles causam a profundidade de mixagem?

Acompanhando no vídeo você vai poder ouvir um exemplo prático da utilização dos plugins para a profundidade na mixagem que acontece por causa da variação da impedância entre diferentes níveis de compressão e a amplificação. Os diferentes transformadores de entrada e saída dos equipamentos também contribuem para o ganho de profundidade, eles fazem a simulação de diversos transformadores em um só. O meu aqui simula o modelo 1176 LA2 por exemplo, mas cada plugin específico vai simular um modelo próprio de compressor e transformador.

Para recapitular então, estou utilizando um compressor do tipo Vari Mu com limiter e com transformadores de entrada do LA2 e do 1176 que vai variando de acordo com o tube driver que muda o transformador de entrada de acordo com o ponto de saturação da válvula, provocando uma maior profundidade na mixagem.

Agora vamos verificar um efeito bem bacana que aumenta a profundidade da bateria. Como ainda estamos no processo de produção, eu já tento simular todas as variáveis de compressão e equalização, exatamente como eu faria durante uma gravação ao vivo. Com a mid eu já processo a saída dos canais dos diferentes instrumentos, nesse exemplo eu estou com uma track de uma bateria e um compressor 1176 no meu microfone de sala em um canal estéreo e com o Ratio em all. Sendo assim, o compressor aplica diversos ratio diferentes, além de aumentar o threshold, começando a atuar um pouco antes.

Para entender melhor, o compressor regulado para atuar em seu máximo que é 20, vai funcionar quase que um limiter interagindo apenas com os sinais mais altos. Sendo assim o ratio all faz com que o compressor atue em diferentes pontos provocando uma saturação específica para cada parte do instrumento. Quando comprimimos muito a sala assim com diferentes níveis de taxa de ratio, acabamos provocando uma ambiência muito profunda. Com essa prática nós temos as primeiras reflexões e as mais lentas em diferentes níveis de dinâmica do resto das peças da bateria.

Então, quando você quiser trazer uma bateria com muita profundidade em uma sala grande, você pode colocar o sala e comprimir ele bastante, diminuindo um pouco os primeiros transientes sem necessariamente achatar todos os ataques. Ele vai passar o primeiro ataque do transiente e como ele tem um circuito de feedback ele começa a comprimir. Esta prática resulta em um som com muito mais profundidade na mixagem.

Então é isso. Espero que este texto tenha auxiliado você a entender alguns dos aspectos que podem ajudar na sua profundidade de som no momento da mixagem. Para os plugins isto é um grande desafio, já que eles precisam emular diversos aspectos presentes apenas no analógico, como um compressor com ponte de diodo, seja um Vari Mu ou ainda um compressor com digestor de campo. O importante aqui é testar os diferentes plugins com e cada um dos instrumentos para verificar qual deles terá o resultado esperado e vai deixar a sua mix com aquela profundidade de som bacana.

Gostou deste material e quer conhecer mais sobre mixagem e profundidade de som? Então conheça agora mesmo o nosso eBook “Como soar com a qualidade de meu artista favorito”. Faça o download gratuito!

como-soar-com-a-qualidade-do-meu-artista-favorito

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *